Arquivos
  • 08/2005
  • 09/2005
  • 10/2005
  • 11/2005
  • 12/2005
  • 01/2006
  • 02/2006
  • 03/2006
  • 04/2006
  • 05/2006
  • 06/2006
  • 07/2006
  • 08/2006
  • 09/2006
  • 11/2006
  •  
    Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com
     
    eXTReMe Tracker

    30.9.05


     
    "Torna-te quem tu és". Nietzsche
    Sempre adorei essa citação, mas, pensando bem, é impossível por em prática.
    Há a parcela dos outros, né?
    O teatrinho, então, é inevitável e até uma questão de sobrevivência.
    Mas sou péssima atriz. E o filósofo não estava preocupado com a prática.

    Não acredito mais no amor romântico. Acredito no romantismo dos amores efêmeros.
    É que da porra do romantismo eu não consegui me livrar.

    Em 80% dos casos nos apaixonamos pelo personagem e não pela pessoa.
    Até quando houver criatividade para criar roteiros, ótimo. Enquanto o personagem puder ser interpretado, melhor ainda.
    Quando isso acaba, aí sim, a gente vê o que fica. E aí decidimos se é isso mesmo ou não.

    Não gostaria de exorcizar todos os meus fantasmas não, talvez só os mais assustadores.
    Eu sentiria falta deles de alguma forma.

    Hoje, o meu beijo seria o sabor mais amargo que alguém poderia experimentar na vida.

    Materialista porque preciso de um mínimo de organização? Não, é para me sentir aprumada mesmo. As "coisas" precisam estar sob o meu alcance, sim. Porém, jamais considero as pessoas como "coisas valiosas". As coisas para mim são apenas coisas mesmo, por isso precisam ficar arrumadas. As pessoas podem ser bagunçadas do jeito que for que já está valendo. Talvez esse seja o mal. Muita complacência.

    Quem casa quer casa. Quem se separa também...

    E o dever de casa da semana prescrito pela analista foi: "Praticar a cara de pau".

    O que você faz quando fica muito puto? Eu faço tudo, menos ficar calada.

    Não chorar dá dor de cabeça. Eu quero, mas não consigo.
    Ainda bem que lançaram a cartelinha com quatro comprimidos de neosaldina.


    6:25 da manhã


    Comments:
    Também adoro a citação.
    Não posso dizer ao certo se é impossível de por em prática. Porque o "impossível" é muito fechado, conclusivo, um ponto final. Mas está bem longe de ser da noite para o dia.

    Acredito que a citação de Nietsche pode começar com a sequência "Conhece-te a ti mesmo" então vira "Carpe Diem" (no sentido real da expressão e não na manjada preferida pelos publicitários) e a consequência é tornar-se quem tu és. Hum..

    Personagens são comuns, vulgares, eu chamo de embalagem, você encontra similares, mas a essência disso tudo é diferente. Uma hora a personagem cai, aí não tem jeito.
    Acredito no romantismo, até gosto disso. Não sei se considero como uma ação baseada em um roteiro, muitas vezes
    é espontâneo, concorda? ou não?

    Acho que o importante no amor é amar o desejado e não o próprio desejo. Desejo de amar.. Nietzsche.. fácil de se identificar.

    Acho remédios servem para curar o corpo. só o corpo..igual cerveja em happy hour de uma empresa que trabalhei.

    Talvez Nietzsche devia ser louco mesmo e se tornou quem ele deveria ser, enlouqueceu...ahaha
     
    Enviar um comentário