Arquivos
  • 08/2005
  • 09/2005
  • 10/2005
  • 11/2005
  • 12/2005
  • 01/2006
  • 02/2006
  • 03/2006
  • 04/2006
  • 05/2006
  • 06/2006
  • 07/2006
  • 08/2006
  • 09/2006
  • 11/2006
  •  
    Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com
     
    eXTReMe Tracker

    29.11.05


     
    Mais da série: 100 % "Fazível"


    6:56 da tarde



     

    Ai...
    (modo desperate on)
    Socorro, Pai Ambrósio... me livre dessa fixação!!!
    Eu juro que passo a me comportar e ser outra pessoa daqui para frente...
    ELE ME DÁ CHOQUE (juro que é verdade!!! mas não posso provar). FREEEEUD, não me abandone!!!
    Tá... sei que vai passar... todos sabemos como são os adultescentes, huahuahua


    6:55 da tarde



     
    "... there is no you
    there is only me
    there is no fucking you
    there is only me..."

    Only (NIN)



    Vixe!!!


    6:34 da tarde



     
    Da série: FARIA EM QUALQUER CIRCUNSTÂNCIA
    Trent Reznor


    6:30 da tarde


    28.11.05


     
    Claro que é rock...

    É?
    Não sei se tão claro assim, mas...
    Fora o atraso imperdoável, cambistas vendendo na porta de entrada ingressos por R$ 10,00 (quando a meia entrada custava R$ 50,00 e a inteira R$ 100), cerveja quente a R$ 4,00 e as apresentações desnecessárias, é sempre bom observar as pessoas se libertando, aprisionando, interpretando, curtindo... Sem contar os estilos, alguns fantásticos e outros discutíveis, que chego a me perguntar onde essas pessoas se escondem no cotidiano diário do dia a dia... Enfim, pessoas, em suas plenitudes ou suas nulidades.
    Porém... assistir ao show do Nine Inch Nails não tem palavras.
    Estou meio em transe até agora.
    Impressionante como um show opera em mim: o trabalho, presença e movimentação da banda, as letras das músicas, a platéia e toda a energia que flui é inebriante.
    Ainda mais quando parece que parte de sua vida e suas "questãs" estão sendo queimadas e exorcizadas ali, bem no palco, junto com a fúria do artista. Nem que seja para renascerem no dia seguinte.

    P.S: Estranha a sensação de ser alguém oculto. Brincar de amigo oculto é divertido, ser um de fato, não.
    Acho que muitas coisas na vida funcionam na base de "mentiras sinceras me interessam".
    Algo mudou. Sempre muda. Não sei se para melhor ou pior e nem sei se isso importa no final. Tudo muda a cada segundo, pelo menos deveria ser assim.

    P.S2: Ninguém nunca vai conseguir definir ao certo o que é "rock".
    Tem horas em que, o umbigo das pessoas é tão, tão importante, que elas se esquecem do que fazem bem a elas e perdem um bom tempo rotulando o gosto dos outros. E ainda se incomodando por algumas pessoas ?pseudamente? não pertencentes a seu nicho gostarem das mesmas coisas que elas...
    Ai, ai... É, existem mesmo tipos de "famoso cerumano".

    Nine Inch Nails - Eraser
    Need you
    Dream you
    Find you
    Taste you
    Fuck you
    Use you
    Scar you
    Break you
    Lose me
    Hate me
    Smash me
    Erase me
    Kill me


    10:52 da manhã


    24.11.05


     
    SOB UM LEVE DESESPERO... Que me leve daqui...

    Já sentiu um desespero enorme, uma vontade de chorar, de gritar quando alguém que você ama muito, pelo motivo que for, precisa ir embora?
    Pois é, se um adulto maduro e estruturado (pressupõe-se...) sente isso tudo e as vezes sucumbe, imagine uma criança?
    Foi duro ver a pequenina chorando copiosamente porque eu saí para trabalhar.
    Sabemos que as crianças são um tanto dramáticas e para nos atingir não é preciso muito esforço.
    Só que dessa vez o choro era sentido, magoado, de incredulidade...
    Como assim, eu teria que abandonar aquele momento tão sublime?
    Simplesmente não sabia como me comportar, mas mantive uma certa compostura, abandonei a farda de general e a abracei forte, explicando o que ela não queria ouvir. Que eu precisava ir, mas voltaria...
    Precisa ir nada! Ela esbravejou com raiva, ainda agarrada a mim.
    E como foi cruel o ato de ter que faze-la desgarrar e ela, ali, lutando contra...
    Ai... a minha vontade foi largar tudo e dizer: Venha, sweet child o?mine, vamos aproveitar a manhã de sol... Vamos brincar, dançar, cantar, nos lambuzar com um sorvete, deixa eu incrementar sua infância com momentos gostosos...
    Mas não foi o que fiz, lembrei das milhares de coisas que tinha a fazer no trabalho. E não tive coragem. Não foi por amor ao trabalho. Excesso de responsabilidade talvez, excesso esse que me remete a ela, mas eu não saberia explicar.
    E mesmo se soubesse acho que não faria diferença no final das contas.
    A vó a chamou para ir me dar tchau pela janela, ela disse não, mas foi.
    E deu o tchau ainda chorando e perguntando "porque" com os olhinhos tristes.
    Os meus, escondidos no óculos escuro, 1000 vezes mais tristes...
    Segui o meu caminho nem sei como, com nó na garganta, mas sem conseguir derramar a lágrima que queria sair. Saco!
    O mais doloroso foi ligar para casa e ouvi-la dizer que não queria falar comigo.
    Realmente a maternidade não é para qualquer um. Coragem, medo, culpa, incertezas.
    Mas o meu amor é incontestável. Tanto, que talvez ela nunca saberá o quanto...
    Alguém conhece algum antídoto contra a culpa para me indicar?
    ***
    " ... Eu que não fumo queria um cigarro
    Eu que não amo você
    Envelheci dez anos ou mais nesse último mês..."

    Música dos Engenheiros do Hawaii que esqueci o nome...
    ***
    É matar ou morrer, certo? Bem, já que me sinto meio morta, só estou atirando e recarregando os cartuchos.
    Zumbis são inatingíveis... Ou pelo menos pensam que são...
    ***
    Ainda assim, se não funcionar, me farei de morta para comer o coveiro...


    8:17 da manhã


    22.11.05


     
    BRINCADEIRA DE RODA

    Ciranda Cirandinha vamos todos cirandar
    Vamos dar meia volta, volta e meia vamos dar
    O anel que tu me destes era vidro e se quebrou
    O amor que tu me tinhas era pouco e se acabou

    Por isso, Dona Jacu, entre dentro dessa roda
    Diga um verso bem bonito, dê adeus e vá-se embora...

    Verso bonito:

    Espelho quebrado.
    Espelho estilhaçado.
    Junto os caquinhos e tento ver...
    Ainda que eu não saiba quem é você.

    O verso não é bonito. Por isso não posso ir embora. Vou continuar na roda.


    12:09 da tarde


    20.11.05


     
    UIIIII! - The sexy name decoder!

    Cutie Luxuriating in Arousing Undulation


    e de minha persona alcoolica, obviamente:
    :P

    Minx Administering Rapturous Lustful Affection

    HAHAHAHA!


    4:49 da tarde



     
    TAMBÉM NÃO RESISTO...

    Lembra os meus tempos adolescentes (?!) em que adorava responder os famosos "cadernos de perguntas".

    Peguei do BLOGGETE que pegou do UH BABY!

    Se eu fosse

    Se fosse uma flor - Girasssol
    Se fosse um brinquedo - Peteca
    Se fosse um mês - Agosto
    Se fosse uma brincadeira - Queimada
    Se fosse uma música - How soon is now (The Smiths)
    Se fosse uma nota musical - Dó
    Se fosse uma cor - Vermelho
    Se fosse um filme - Minha vida sem mim
    Se fosse um feriado - 07 de setembro
    Se fosse uma comida - Pizza
    Se fosse uma bebida - Cerveja
    Se fosse um disco - ?
    Se fosse uma maquiagem - Lápis de olho preto
    Se fosse um dia da semana - Sábado
    Se fosse um periférico do PC - HD
    Se fosse um doce - Mil Folhas
    Se fosse um programa de tv - Lost
    Se fosse um cômodo da casa - Quarto
    Se fosse um instrumento - Guitarra
    Se fosse um objeto - Ampulheta
    Se fosse uma árvore - Coqueiro
    Se fosse uma fruta - Pêra
    Se fosse uma paisagem - Cachoeira
    Se fosse um bicho - Borboleta
    Se fosse um lugar - Visconde de Mauá
    Se fosse uma estação do ano - Outono
    Se fosse uma frase feita - Quem desdenha quer comprar
    Se fosse uma peça de roupa - Camiseta
    Se fosse um elemento da natureza - Água
    Se fosse um objeto motorizado - Carro
    Se fosse um aparelho eletrônico - Ipod
    Se fosse uma pessoa da sua família - Minha filha
    Se fosse um sentimento - Admiração e amor
    Se fosse um perfume - Flower - Kenzo
    Se fosse um livro - Mothern - Manual da mãe moderna
    Se fosse uma conquista - Emancipação emocional
    Se fosse uma parte do corpo - Ombros
    Se fosse uma pedra - Diamante
    Se fosse uma dúvida - Quem é você?
    Se fosse uma marca - Nenhuma
    Se fosse um eletrodoméstico - Liquidificador
    Se fosse um jogo - Xadrez


    Ah, NATY

    Orgulho de minha virtuosa?

    OVERMUNDO


    11:27 da manhã


    18.11.05


     

    A CERTEZA DE QUE A TPM CHEGOU:

    *Vontade de triturar cada pessoa no metrô que carrega grandes mochilas nas costas
    *Sensação de que uns cinco quilos a mais te acompanham.
    *Promessa de que não vai mas beber umas cervejinhas. Qual a graça que isso tem?
    *Sensação de que sexo dá trabalho, cansa e é chato.
    *Vontade de comer bolo de laranja e de cenoura com chocolate.
    *Desejo de estrangular quem usou (sem autorização) meu colar preferido e esqueceu na casa do namorado, justamente no dia em que eu iria usa-lo.
    *Vontade de caminhar por uma rua onde eu não encontraria ninguém, nem uma só pessoa.
    *Desejo de estiletear o colega de trabalho que fala berrando ao telefone, atrapalhando todo o meu já confuso raciocínio. Quando a figura fala com a namorada, fala baixinho e apela para a "fofização". O jeito é por o fone de ouvido, ouvir "Rammstein" e na hora do "bang bang" da música, me sentir justiçada...
    *Certeza de que com o item acima, estou me transformando numa fuxiqueira e doida por uma picuinha.
    *Dei um "pedala" no amigo acima. Passa fora, eu??? Sim, para ver como está a coisa...
    *Além de jacu, me sinto jagunça...
    *Praguejar a mim mesma por não ter força de vontade para tentar uma dieta mais vegetariana, respirar melhor e conseguir executar as posturas da aula de yoga.
    *Irritação, irritação, irritação. Sensação de que está tudo fora do lugar.
    *Ficar incomodada porque me elogiaram (que abuso!) e ao mesmo tempo ter certeza de que ficaria puta se não recebesse o elogio.


    Ai, ai. Ainda bem que passa... Passa?


    Wish List:

    *Tomar um banho de cachoeira.
    *Deitar sob uma grama, ler um livro e quem sabe, até tirar um cochilo.
    *Massagem nas costas.
    *Alguém para lavar o meu cabelo, com direito a massagem na cabeça.
    *Algumas horas de sossego num lugar cheio de almofadas coloridas, incensos acesos, paz e uns livros atrasados para por a leitura em dia.
    *Viajar para visitar virtuosas que sinto saudades.
    *Beijo na boca roubado. E dos bons.

    Chega, que estou me irritando só por desejar essas coisas.
    Aonde se esconde de si mesmo?
    Alguém para me por no modo Turn On???

    ****

    E comportamento auto destrutivo também é... ter um surto-escritorinho-descontrol e mesmo fodida e mal paga, gastar 290 pilas num terninho gelo (que, quiçá, será usado) e mais duas calças. Sabe como é né? "Parcela em quatro vezes"... ahn?
    Acho que a ficha caiu ao constatar que eu vim mesmo trabalhar com a melissa rosa pálido... Ahhhnnn?

    Os meninos do escritório estão todos engordando. Absurdamente. É a pressão.
    Ainda se acham no direito de qualificar mulheres com aqueles quesitos "morre fácil/não morre" (tá, nós mulheres também fazemos isso...).
    Comem, comem e comem (comida mesmo, especialmente junkie food), chega a dar gosto de ver.

    As (poucas) mulheres o que fazem? Gastam, gastam, gastam. E praguejam os homens por comerem tanto e ainda se sentirem seguros em suas panças.

    O colega de trabalho ainda diz: Quer saber como transformar uma fada em bruxa?
    CASA COM ELA... Huahuahua. Peguei para mim. Tenho uma fada, mas, definitivamente me enquadro na categoria de bruxa.


    Triste constatação: Uma das agressões visuais que mais me atordoam é ver paredes descascando, rachaduras...
    Quase todas as paredes em minha volta descascam... Desmontam... Se desfazem.

    Juro que nesse momento mentiras sinceras me interessam. Estou na espera de "make my day" de alguma forma...



    7:42 da manhã


    16.11.05


     
    CRONOGRAMA FRAGMENTADO DO FERIADÃO

    Então... Vontade de fazer algumas coisas e ao mesmo tempo nada...

    Sexta feira -> Nada como um cinema no final do expediente. Filminho leve - Da cama para a fama - e companhia certeira, a Meméia, minha amiga nem tão imaginária assim.
    Enquanto esperamos a sessão começar tomamos algumas cervejas e comemos um sanduíche de lingüiça (de frango, para não pesar na consciência, hahaha).

    Sábado -> Durante o dia, rotina como nos velhos tempos. Sim, exatamente como nos velhos tempos, me sinto de cabeça para baixo. Tão como nos velhos tempos que até aproveito para comprar meu ingresso para o show de rock. Eu reclamava mesmo de que, hein? Ah, acho que era de mim mesma sem me dar conta.
    A noite, rasante pelo point (nem tão) underground, só para não ficar com a sensação de que não saí de casa.

    Domingo -> Almoço com Meméia e planos de passeios pela zona sul. A pança cheia e o calorão infernal nos desanimam. O que fazemos? Do restaurante vamos direto para o fresquinho do ar condicionado do cinema, desta vez para assistir ao tenso "Jogos Mortais II".

    *** Me dou conta que hoje faz 01 ano que ele se foi.
    Não digo que era como um pai, mas era uma presença.
    Figura paterna é algo que definitivamente não tive em sua plenitude. E, sim, Freud já explicou o resto.
    De padrinho, anos depois passou a sogro.
    Apostou em mim e me deu a oportunidade do primeiro emprego, aos 15 anos.
    Adorava uísque Jack Daniels e me prometeu a camiseta que vinha junto com o kit que havia comprado.
    Eu, que estava com ingresso em mãos para o show dos Guns and Roses, já fazia planos de ser vistapelo Slash ao usar tal camiseta.
    A competição e o ciúme da "prima" fizeram com que ele não me desse a camiseta. Tudo bem, padrinho. Eu fiquei puta, mas passou. Foi em mim que você pensou quando viu a camiseta, sinal que conhecia a minha banda preferida da época.
    Com ele aprendi a lendária pergunta "Procurou com vontade de achar?". Não tinha um que não achasse depois que ele falava isso.
    O dinheiro mais lamentável que gastei na vida foi com o seu velório. Ironia... Logo eu.
    Nessas horas o dinheiro é a coisa mais execrável que existe.
    Em sua intenção, bebi alguns chopes com amigas queridas e, curiosamente, não fiquei bebinha. E lembrei do porre de licor que tomei pela primeira vez em sua casa. Como eu estava me sentindo ao beber naqueles copinhos pequenos e bonitos.
    Obrigada por ter tido a sensibilidade de me ver como criança, menina e mulher. Por respeitar as minhas decisões. E quando penso que me tornei uma cientista por influência sua, confesso que sinto um certo orgulho***

    Segunda -> Programação que passa batida. O dia passou e não me dei conta.

    Terça -> Calor infernal na cidade maravilhosa. Escolho passear com a menina pela floresta. Ela se diverte bastante e faz muita manha por tanta saudade acumulada. Pego leve.
    À noite tenho os olhos borrados pelo lápis preto. Não foram borrados por lágrima e sim por suor. Enquanto acendo o fósforo, tenho uma das mais belas visões dos últimos meses. Narcisismo puro, devo confessar...


    E continuo me perguntando: Quem sou eu, estranha familiar? Quem é você?


    5:12 da tarde


    11.11.05


     
    FALA SÉRIO!

    Assistindo uma palestra profissional apresentada por um famoso ídolo do esporte nacional, como de praxe, começo a observar o que realmente me cerca.
    O cara, muito simpático e carismático, falando das conquistas e vitórias de sua carreira e eu tendo a certeza de aquilo jamais seria aplicado ao mundo corporativo. Nem em sonho.
    Até porque estavam todos loucos para a palestra acabar para poderem brincar no baile de carnaval: moços engravatados (alguns com gravatas bizarras) e moças de terninhos de bom corte, sapatos chanel, cabelos arrumadinhos, etc e tal, doidos para encherem a cara de uísque e prosecco.
    Com isso surgem as personas alcoólicas...
    Uma mais bizarra que a outra, mas como estão todos fantasiados de gente séria, ficam confortáveis.
    Eu, do meu canto, percebo que tenho o paladar mais pobrinho e me orgulho, já que o prosecco não cai bem, não me apetece. Preferia uma cerveja, de preferência long neck para beber no gargalo.
    O buffet é muito bonitinho, comidinhas que dão até pena de devorar, mas eu fico pensando mesmo é na carne assada fatiada com pão francês do pé sujo em frente à igrejinha.
    Quando as doses de uísque começam a fazer efeito nos engravatados do salão, eu, que até estava ajambradinha - salvo pelo band aid pendurado em meu calcanhar por conta do sapato de salto vermelho - percebo que não DOU mesmo para o mundo corporativo... Nem vem!
    Ô, TÉDIO. HAHAHA.


    7:29 da tarde


    10.11.05


     
    BLOCKED

    Pois é... Além de impedirem o acesso à vários sites (orkut, MSN, etc), agora impedem de acessar qualquer coisa com blogspot.com.
    Tudo bem, tudo bem, computador de empresa é para trabalho, e-mail também, todos nós sabemos disso e não podia mesmo ser diferente.
    Mas sejamos realistas, né? Como disse a Angela (do Bloggete, droga não consigo por o link) certa vez:
    Passamos (mais) de oito horas em frente ao computador da empresa, acessar algumas páginas, ler alguns blogs (infinitamente melhores que muitos jornais e revistas, o que não é o caso desse, obviamente) substituí a parada para o cafezinho, o famoso jabá corporativo.

    Claro, que se aplica os conceitos de limites e bom senso.

    E me lembro também de um post do Serjones do "Catarro Verde" (arghhh, sem link novamente), que era mais ou menos assim:

    "Se a empresa me trata como criança, determinando os sites que posso ou não acessar, porque me dá responsabilidades de adulto?".

    O infeliz do She-ra ? sorry, private joke again, mas se quiserem saber juro que digo em privado ? ao bloquear os sites ainda colocou uma mensagem assim (e deve gozar cada vez que alguém dá de cara com ela):

    "The website you attempted to visit is not work related.
    Access to this website is denied.
    Have a nice PRODUCTIVE day!"

    Perceberam o prazer da caixa alta em "PRODUCTIVE day"?
    Pois é, qual o conceito de produtividade para esse béocio, hein?
    Não faz idéia de onde começa a produtividade... Nunca parou para pensar (até porque isso ele não faz) que começa em bem estar, em anti terrorismo.
    Ahhh, aí é que está... Uma breve definição do espectro:

    * Totalmente gay enrustido (o que o deixa muito confortável no papel de carrasco), nerd de IT , mal educado e ainda é dos States. Pow! Poderia ou não atender pelo nome de Mr. Arrogante?

    Quer medir forças? Então vai brincar de guerra de braços sozinho.
    Dessa vez o maluco vai dançar solitário com as palmas imaginárias.

    P.S: Bloqueia a página de exibição mas não a de postagem. Meus sais!!!


    6:14 da manhã



     
    ELEMENTOS DE UM MAU HUMOR:

    *Dor de cabeça e garganta por conta da cerveja e sereno que não caíram bem (a companhia e o filme ? Crash ? foram bacanas).
    *Metrô em condições desumanas.
    *Ter que pedir pela enésima vez ao marmanjo burro velho que não faça brincadeiras que irritem tanto a menina, que fica agitada e gritando. Inútil.
    *Ter que esbravejar, xingar de imbecil para conseguir um pouco de paz no ambiente em que vive.
    *Ser veementemente criticada por lamentar que a menina voltou da casa da madrinha com os refrões das músicas de Kelly Key e Latino decorados. Sim, é sempre lindo ver criança cantando qualquer coisa, principalmente quando é SUA criança. Sei que não posso evitar, mas reclamar posso, sim, e vou... sempre. Prefiro ser acordada com "Pirulito que bate bate" do que com "Barbie Girl". Até porque, o mais escroto é ver que o adulto ama a cena porque ele queria estar cantando essa bosta e se realiza através da criança. Enquanto isso, os CDs do "Palavra Cantada" todos arranhados e esquecidos. É, eu mereço.
    *Como (falta de) argumento a genitora e sua outra cria falam: E você que freqüenta inferninhos? HAHAHAHAHA, i-n-f-e-r-n-i-n-h-o-s? HAHAHA, quem me dera, quem me dera!!! Na boa, quem me dera!!!
    *Lembrar que "The Edukators" ainda é a minha sina, logo, o prejuízo por ter batido na traseira do carrão do milionário precisa ser pago. Não haverá anistia.

    Por essas e outras é que não assinei nem sim, nem não na agenda na menina no que se refere a renovação da matricula na escolinha... Necessidade de mudança latente.


    6:10 da manhã


    8.11.05


     
    SEXO, DROGAS E ROCK AND ROLL

    Uma das combinações mais libertadoras que existem...
    Modo adultescente ON ativar.
    Sempre gostei bastante do número 11...
    Sorry, private joke, apenas as virtuosas entenderão, hohoho.
    Em comemoração a essa viagem, sugiro que ouçam "Te quiero puta", do Rammstein.
    Made my day!
    E por falar em rock, depois dos meus bons anos de abdução, voltei a me interessar pelo surgimento de novas bandas e tudo que acontece no mundo "underground".
    Vale muito a pena conhecer o trabalho dessa turma aqui:

    www.fotolog.net/bandahost

    Na letra da música "Sobre as coisas que não consigo ser" da HOST, tem um refrão assim: "Quem pode pode quem não pode morre".
    Virou um mantra quando me vejo em situações sem saída.
    Em uma situação surreal no ambiente de prostituição, digo, trabalho, no melhor estilo "manda quem pode, obedece quem tem juízo", falei para um amigo:
    - Vamos cantar... "quem pode pode quem não pode morre"
    - E o amigo: Porra, nenhuma... vamos cantar assim: quem pode pode, quem não pode MATA quem pode. Hahahaha.
    Bem apropriado. Quem fará o trabalho sujo?


    2:32 da tarde



     
    NAMORADA DAS ANTIGAS

    Texto de Renato Lemos, colunista do JB publicado na revista Programa de 04/11/05.

    Reencontrar uma velha banda de rock é mais ou menos como rever uma antiga namorada por quem fomos apaixonados um dia. Não adianta dizerem que ela já não é mais a mesma, que engordou, que tem três filhos problemáticos, que parou de beber, que gosta de novela das seis, que prefere shopping ao cinema, que anda freqüentando uma igreja esquisita, que botou silicone, que não adiantou nada o silicone, que foi pega outro dia comprando um CD pirata do Jota Quest. Quando a gente olha para ela, vê simplesmente aquilo que já foi um dia. A isso, alguns idiotas chamam de amor.
    Em músicas como Smoke on the water e Burn, que o Deep Purple mostrará por aqui, não há uma única vez a palavra amor. Não faz falta. Quando gostávamos do Deep Purple, amor não era a coisa mais importante. Guitarras sim. E Ritchie Blackmore, John Lord e Ian Gillan. Dos três, apenas o último estará por aqui, acompanhado dos não menos importantes Ian Paice e Roger Glover. Nem interessa se os cabelos estão mais brancos, se estão carecas, barrigudos, se as calças de couro não ficam bem para os homens de 60 ou se aquelas bandanas na cabeça sejam de fato ridículas.
    O amor, sabe-se, não é muito diferente disso.



    2:25 da tarde


    7.11.05


     
    Surrealismo MSN-nístico...

    Pérolas saídas de conversas por MSN, que aliás e a propósito, tenho evitado com força, pois a minha DDA* faz com que eu vá dormir muito tarde, tendo que acordar cedo no dia seguinte e com isso ostentando um visual hiper moderno a la urso panda, em função das olheiras. Ah, e ainda tomo uma ferroada no fim do mês, já que a conexão ainda é "de escada".

    Isto posto, vamos as perólas:

    Assunto: ***cantadas/pegações/modernidade***

    Eu: Pô, cara, por essas e outras que chego à conclusão de que tenho jeito de homem mesmo.
    Amigo: HAHAHA, pq diz isso, mulé?
    Eu: Em toda a minha existência, nunca fui cantada por uma mulher.
    Amigo: HAHAHA, e isso faria alguma diferença?
    Eu: Ué, não sei, como posso falar de algo que nunca aconteceu? Sei apenas que a minha histeria seria alimentada, pois pensaria assim: É, isso já aconteceu comigo.
    Amigo: HAHAHA, sua doida!


    Assunto: ***programação do finde***

    Amigo: E aí, vai fazer o que?
    Eu: Ainda não sei, pode ser que faça alguma coisa, pode ser que não faça nada..
    Amigo: Nossa, Snow White, que resposta absurdamente brilhante, HAHAHA.
    Eu: e vc?
    Amigo: Ah, não sei. Os eventos que gosto são os de sempre, divulgados maciçamente em orkut, etc. Mas é foda ficar de figurinha repetida, não é uma coisa que eu goste.
    Eu: Tens razão, esse é o lado chato da coisa.

    *Modo Paranóica ON* -> O amigo falou dele, tão somente dele, mas algo apitou dentro de mim falando: É um aviso indireto para você, HAHAHAHA. Tem hora que gosto dos meus fantasmas, devo admitir...

    *DDA -> Distúrbio do déficit da atenção.

    O mais engraçado é dormir super tarde, umas quatro e meia da manhã, num ato ridículo de não fazer barulho e dar de cara com mamys de dedo apontado para mim com a unha roída e falando: Você é uma doida varrida, vê se isso não horas de ir dormir? Eu hein... Não tem juízo, nem a tua sobrinha de 13 anos faz isso...
    Mamys, eu estava com insônia...
    O maior agravante eu não contei para mamys quando levantei as nove: meu sonho.
    Veja só, sonhei com um diabinho de tridente na mão falando coisas incompreensíveis para mim e eu era uma freira. Até que havia um entendimento... HAHAHA.
    Acordei toda suada. Mamys me olhou e fez um muxoxo.

    Conclusão: Uma vez que você sai da casa de seus pais e tem que voltar, haja o que houver, você será tratada como a virgem da família, a imaculada, com direito a patrulha 24 horas por dia...

    Ações: Ou faz ouvido de mercador e cara de paisagem ou parte para "só o surto salva", lustra a ferradura, pedala todo mundo e depois usufrui do silêncio sepulcral que será estabelecido e da cara de coitadinho de todos.


    8:31 da manhã


    3.11.05


     
    É por essa e milhares de outras, que sou dãããããããããã por ELA.
    Segurar seu filho nos braços me fez sentir vontade de ser mãe novamente... e de um menino... e ele ainda falou para mim, depois que eu disse ter uma bonequinha em casa que adoraria brincar com ele: Eu vou construir una casa para Malu...
    Derramei lágrimas de emoção nesse dia. Porque as crianças são tão sábias?


    5:12 da tarde



     
    LINHAS TÊNUES

    Minha amiga imaginária pede para falar de sexo.
    Está surpresa diante de tanta intimidade adquirida.
    O sexo que apaixona.
    Comum? Creio que não...
    Ela não chegou as vias de fato, não praticou as peripécias, não trepou - usando a minha definição preferida.
    Mas houve ato sexual, embora não o propriamente dito.
    Ela abusou dos cinco sentidos e agora ambos estão desnorteados.
    *Eles se fitaram demais, chegaram a se espelhar nos olhos um do outro. Interrompiam conversas por conta desses olhares.
    *Ouviu sua agradável voz relatando coisas que ela havia esquecido, coisas engraçadas, poesias que descambavam para uma putaria que a deixava zonza.
    *Ao abraça-lo sentiu o cheiro do seu pescoço, um pouco do suor e ficou entorpecida.
    *Ao beija-lo experimentou a sua saliva, saciou parte de sua sede e ainda saboreou a mistura leve de álcool e cigarro. Ficou com mais sede e até uma certa fome. Sua saliva virou uma espécie de bálsamo.
    *Ao toca-lo sentiu a textura de seus cabelos, apertou a sua pele e não conseguiu mais conter as suas mãos. Ao andar de mão dadas com ele, se sentiu levemente algemada.
    O que mais instiga é a certeza de que não ficarão juntos, cada um possui a sua história, precisam trilhar seus caminhos.
    Me falou ainda que o odiava em alguns momentos e nessa hora fui obrigada a interferir dizendo que ela não o odiava, odiava sua incapacidade de lidar com a situação. Como boa amiga, precisei agir como o pombo da discórdia e fui logo dizendo: Poxa, porque não deu umazinha logo, cheia de expectativas? Por estarem cheios de desejo, ia ser uma rapidinha bem decepcionante e pronto... tudo estava resolvido.
    Ela me olhou com desprezo, pois sabia que eu estava blefando no conselho.
    Só me restou a dizer o inevitável: É o homem da sua vida, guarda e cuida dele com carinho.
    Ela: Como homem da minha vida se não ficaremos juntos?
    Eu: Querida, quem disse que temos as pessoas de nossas vidas sempre ao nosso lado?
    Então ela suspirou e eu falei que a linha que separa o sexo propriamente dito do não dito era bem tênue.

    Para anima-la, ainda listei algumas linhas tênues que eu reparava em minha vida:

    *Intuição x paranóia
    *Sinceridade x indelicadeza
    *Humildade x submissão
    *Neutralidade x omissão
    *Convicção x incerteza

    Foi inútil....


    3:35 da tarde