Arquivos
  • 08/2005
  • 09/2005
  • 10/2005
  • 11/2005
  • 12/2005
  • 01/2006
  • 02/2006
  • 03/2006
  • 04/2006
  • 05/2006
  • 06/2006
  • 07/2006
  • 08/2006
  • 09/2006
  • 11/2006
  •  
    Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com
     
    eXTReMe Tracker

    10.2.06


     
    Aniversário de filho é um evento diferente para os pais

    Não é só uma comemoração que te deixa de cabelos em pé com tantas coisinhas para resolver.
    É a celebração da vida mais importante de sua vida.
    Os pais ficam nostálgicos.
    Eu, particularmente, fico vendo pequenos trechos de lembranças passando como filme em minha mente.

    Do dia em que o resultado do exame de farmácia feito no banheiro do trabalho mostrou os dois riscos azuis confirmando a gravidez.
    Do choro de susto misturado com o de imensa alegria.
    Da barriga indo dormir de um tamanho e acordando de outro.
    É, a calça preferida não entrava mais...
    Do dia em que fui para a maternidade, dia ensolarado, lindíssimo.
    Eu estava bastante ansiosa, afinal, às 19:30 do dia 10/02/03, a menininha abandonaria a sua morada há 09 meses e aí, como seria para a gente a partir desse momento?
    Tê-la dentro de mim era como receber afagos diários de Deus.
    Eu que nunca tinha levado um ponto na vida, percebi que sangrar nunca foi tão belo.
    Quando tive o primeiro contato com ela, não conseguia falar, apenas chorava lágrimas nunca antes derramadas.
    Fomos separadas para os procedimentos de praxe e no reencontro, minha barriga gelou.
    Lá vinha a mocinha toda de rosam, do colo da enfermeira para o meu.
    Meus braços seguravam algo divino.
    Lembrei-me das palavras de Madonna comentando a condição de mãe "acho que a gravidez é uma grande brincadeira de Deus com as mulheres".
    Não é um mar de rosas sempre. Não mesmo.
    É como um mar apenas. Ora calmo, ora turbulento.
    Passei seis meses da minha vida morta. O tempo em que fiquei, relativamente, longe dela...
    Mas o instinto animal existe para isso, para devorar o que as coisas ruins e limitante que nos cercam e preservar o que é preciso.
    Sei que um dia ela olhará para mim e falará: Deixe de ser dramática, mãe. Afinal, ela é aquariana.
    Prática até dizer chega.
    Vê-la crescer é resgatar as forças que subestimei.
    Primeiro ano foi o ano de descobertas dela. Dores, decisões e rompimentos para mim. E a dádiva de ser a mãe dela.
    Segundo ano, do desenvolvimento, da escolinha, da nova vida, das espertezas, manhas e tudo mais. Reestruturação para mim. E a dádiva de ser a mãe dela.
    Terceiro ano, o que se inicia hoje, será de desfrutes, alegrias, surpresas da vida e olhar certeiro para o caminho que temos que percorrer. E a dádiva de ser a mãe dela.
    Com todo o amor que eu nunca saberei expressar, desejo à Maria Luiza toda a felicidade do mundo, liberdade, leveza, força e coragem.

    Feliz aniversário, minha deusa!


    4:14 da manhã